Santo Mártir Sebastião de Roma

18 de dezembro — Calendário Juliano

Sebastião nasceu na cidade de Narbonum, na Gália, e foi educado em Milão. Sob o reinado dos imperadores Diocleciano e Maximiano, na virada do terceiro para o quarto século depois de Cristo, ocupava a posição de chefe da guarda imperial, sendo respeitado por sua autoridade, bravura, sabedoria e lealdade. Sebastião era um cristão em segredo, não por temer o martírio mas porque assim tinha possibilidades de melhor socorrer seus irmãos de fé em tempos de perseguição à Igreja.

18 1

Nesses tempos, os irmãos cristãos Marcelino e Marcos foram presos, e embora demonstrassem grande disposição para morrer por Cristo passaram a titubear diante dos apelos de seus pais, mulheres e filhos, que, diferente deles, permaneciam pagãos. São Sebastião se dirigiu à casa em que estavam presos, e diante de uma pequena platéia fez um discurso inspirado instilando coragem nos irmãos. Ele mesmo se dispôs a passar pelo martírio caso fosse necessário para exemplo e edificação dos seus irmãos de fé que passavam por grande tentação naquela ocasião.

Enquanto falava, os presentes viram sua face brilhar como um sol, alguns deles o viram acompanhado por sete anjos, um dos quais escrevia num livro as palavras do santo, das quais podem ser destacadas as seguintes: “Ó guerreiros valentes de Cristo! Não rejeiteis as normas de sua vitória por conta de lágrimas femininas, nem se deixem se abater pelo inimigo, pois Cristo vai restaurar a sua a força e mais uma vez estará na luta com você. Contra todos os impulsos terrenos levantem a bandeira gloriosa da Sua lei. Aqueles, a quem vós veem chorando, devem saber que há uma outra vida – desprovida de morte e doença, na qual a felicidade reina incessantemente; então certamente sabendo disso, eles gostariam de com você abdicar da vida temporal, e se esforçariam para receber a vida eterna. Mas aqueles que não tem esperança da vida eterna, de fato perecer nesta vida temporal será tido como algo em vão”.

18 2.jpg

Uma mulher, de nome Zoé, muda há seis anos, foi miraculosamente curada naquele dia. Vários se converteram a Cristo e foram batizados, e influenciaram outros que também acabaram sendo recebidos na Igreja, incluindo o Eparca Chromato. Quando souberam do ocorrido, os co-imperadores ordenaram que todos fossem executados. São Sebastião foi interrogado pessoalmente por Diocleciano após ser cruelmente torturado. Negando-se a apostatar, foi levado para fora da cidade, amarrado em uma árvore, e alvejado por flechas.

18 3.jpg

A mulher do dignatário São Castulo foi à noite ao local para enterrá-lo, mas encontrou-o vivo e suas feridas curadas. Recusando-se a fugir da cidade, São Sebastião retornou a Roma e, em frente a um templo pagão, acusou pessoalmente os imperadores de impiedade. Diocleciano ordenou então que o levassem ao Coliseu, onde foi executado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s